quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Azeite de oliva reduz o risco de doença arterial coronariana, diz estudo



O estudo incluiu 40.142 indivíduos espanhóis participantes da Investigação Prospectiva Europeia sobre Câncer e Nutrição (estudo EPIC, do inglês, European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition), sem histórico de doenças crônicas, incluido doenças cardiovasculares.

Os pesquisadores aplicaram um questionário para coletar informações sobre o consumo alimentar habitual ao longo de 12 meses anteriores. Trata-se de um questionário validado que incluiu uma lista de 662 alimentos comuns e receitas de cada região. As porções de cada alimento consumido, incluindo o azeite adicionado às saladas e no cozimento de alimentos, foram quantificadas através de medidas caseiras padronizadas. No recrutamento, foram coletadas informações sobre o peso, altura, circunferência da cintura, fatores sócio-demográficos e de estilo de vida, incluindo nível de escolaridade, o uso de tabaco, consumo de álcool, atividade física e história clínica. Os participantes do estudo foram acompanhados durante 10,4 anos.

Para cada 10 g/dia de azeite oliva consumido houve redução significativa de 7% no risco de DAC. Essa associação inversa foi mais pronunciada em não fumantes (11% de redução do risco de DAC), nos indivíduos que nunca ou pouco consumiram bebida alcoólica (25% de redução do risco de DAC) e em consumidores de azeite virgem (14% de redução do risco de DAC).

“O azeite de oliva é bem conhecido por suas propriedades cardioprotetoras, no entanto, os dados epidemiológicos que mostravam que o seu consumo reduzia eventos coronarianos ainda eram limitados. Este é o maior estudo de coorte para avaliar a relação entre o consumo de azeite de oliva e incidência de eventos coronarianos, demonstrando redução significativa no risco de DAC a cada 10g/dia de consumo de azeite de oliva”, destacam os autores. 

“Nossas descobertas ressaltam a necessidade de preservar o uso culinário do azeite de oliva dentro da tradição da dieta mediterrânea”, concluem.




segunda-feira, 8 de outubro de 2012

8 alimentos que atuam na prevenção do câncer

:: Clique na imagem para ampliar! ::


Acompanhe o NutriMais no facebook! 

#curta e compartilhe saúde!

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Contra gripes e resfriados, inclua ACEROLA na alimentação!


Quando se fala em vitamina C, a primeira fonte que vem a cabeça é a laranja, não é? Pode não parecer, mas essa frutinha possui 80 vezes mais vitamina C do que a laranja. Como o organismo não consegue sintetizar nem armazenar essa vitamina, é importante repor as doses diariamente. A ingestão de 4 acerolas por dia já é suficiente para supr
ir as necessidades de um adulto. Em 100g da fruta estão presentes 941mg de vitamina C. Veja abaixo uma sugestão de suco que combina as duas maiores fontes da vitamina: acerola e laranja.

**Suco para aumentar as defesas**

No liquidificador, bata 2 xícaras (chá) de acerola fresca e 2 xícaras (chá) de água. Coe e adicione e xícaras (chá) de suco puro de laranja. Adoce com mel.



sábado, 2 de junho de 2012

Por que não consigo emagrecer? - Parte II


Possíveis respostas para a pergunta "Por que não consigo emagrecer?" - Parte II

6. Subir na balança todos os dias.
Esse hábito só mostra que você é uma pessoa (muito) ansiosa e que quer ver resultados pra ontem. Mas não é bem assim. Emagrecer (com saúde) é um processo lento. Cada vez que você sobe na balança e vê que não diminuiu nada, só aumenta a ansiedade, e com a ansiedade alta você pode facilmente acabar descontando na comida. Começou a dieta? Deixe a balança pra lá ok? 


7. Estipular metas difíceis de serem atingidas.
Estabelecer metas é bom e eficaz, pois o foco nelas ajuda a manter-se motivada. Entretanto, quando são metas difíceis de serem alcançadas, como por exemplo, perder vários quilos em uma semana, pode surtir o efeito contrário e levar à desistência. O que dá mais resultado é estabelecer pequenas metas durante o processo de emagrecimento, não necessariamente em relação ao peso, mas a hábitos alimentares, hábitos de vida... ex.: aumentar o consumo diário de água, de 2 copos para 4 copos.

8. Abusar de produtos diet e light.
Não é porque um tem menos calorias, o outro não tem açúcar que você pode comer à vontade. Produtos diet são destinados para aquelas pessoas que não podem consumir açúcar, e não para quem está de dieta. Geralmente, esses produtos contêm uma grande quantidade de sódio para compensar a falta/redução do açúcar, o que não é nada bom. Poder comer esses produtos, você pode sim, mas sem exageros só porque é diet/light. 

9. Comer pouco.
Esse é um erro clássico de quem inicia uma dieta (por conta própria). Muita gente acha que comer pouco, mas pouco mesmo, é o que vai resolver o problema com a balança. Grande erro! Nosso organismo precisa de alimento/energia para manter o bom funcionamento. Se você inventa de "cortar calorias", depois de um, dois dias já começa a sentir fraqueza, desânimo, falta de concentração no trabalho/estudos, irritação, dor de cabeça. Coma bem, mas de forma saudável e equilibrada. 

10. Privar-se de comer o que gosta. 
Outro erro clássico. "Estou de dieta, cortei o chocolate do cardápio". Passa uma semana, aí começa a bater aquela vontade louca por chocolate. Não demora muito pra desistir de tudo. Para emagrecer você não precisa deixar de comer aquilo que gosta, só é preciso ter moderação. O que sabota sua dieta não é aquele bombomzinho de sobremesa, mas sim, a caixa de bombom que come durante o dia. Lembre-se: vontade acumulada é um passo para o descontrole alimentar.




Você tem Facebook? Então CURTA a página NutriMais e COMPARTILHE saúde! 

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Por que não consigo emagrecer? - Parte I


Possíveis respostas para a pergunta "Por que não consigo emagrecer?" - Parte I


1. Ter uma alimentação monótona. 
Mais cedo ou mais tarde você ficará enjoada de comer sempre os mesmos alimentos e a vontade de desistir será muito grande. É importante ter prazer na hora de se alimentar.

2. Pular refeições.
Esse (péssimo) hábito só faz com que a fome se acumule. E fome acumulada pode significar descontrole e excesso alimentar em algum período do dia. Portanto, coma mais vezes ao dia, mas em porções menores.

3. Beber pouca água. 
Além de hidratar, o consumo de água durante o dia retarda a sinalização de fome. Muitas vezes, quando a balança acusa algumas gramas/quilos a mais, a pessoa pode estar achando que engordou, quando na verdade pode ser inchaço devido a falta de água e alimentação inadequada. 

4. Cometer deslizes nos finais de semana.
Não é pecado cometer um deslize, o perigo está quando isso se torna um hábito, ou seja, de todo final de semana acabar extrapolando. Se está no início de uma dieta, é bom evitar situações que incentivam o excesso e que você sabe que dificilmente irá se controlar. Fuja de rodízios de pizza! 

5. Beliscar o tempo todo.
Isso faz com que você perca a noção da quantidade de alimentos ingeridos. Nosso organismo precisa de uma rotina para se alimentar, por isso, estipule horários.



Você tem Facebook? Então CURTA a página NutriMais e COMPARTILHE saúde! 


terça-feira, 29 de maio de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Dicas para emagrecer: tudo começa na mente!

Como assim, "tudo começa na mente" ???

Nós temos que enxergar o emagrecimento como um tratamento saudável e não uma obrigação ou tortura, como é para muitos.  Mudar hábitos alimentares não é tarefa fácil, mas também não é missão impossível. Você pode ter um bom cardápio em suas mãos, mas se continuar com aqueles "pensamentos de gordinho" por exemplo, os resultados serão sempre os mesmos. Faça diferente, comece mudando sua mente!

Veja algumas dicas:

1. Tenha DETERMINAÇÃO. Coloque como objetivo e que é isso o que você quer e irá alcançar.

2. PACIÊNCIA é fundamental. O emagrecimento saudável é um processo gradativo, que exige muita determinação, paciência e perseverança.

3. Controle a ANSIEDADE. Não queira emagrecer tudo da noite para o dia. Para isso, não seja escravo da balança.

4. Seja PERSEVERANTE. Não desista no meio do caminho. Cometeu algum deslize? Use isso como uma MOTIVAÇÃO para rever seus hábitos alimentares e seguir em frente.

5. NÃO se culpe. Comeu demais no fim de semana? Deixe o episódio para trás, afinal, se você acabou extrapolando já é passado e não tem como voltar atrás, apenas cuidar para que não aconteça novamente.

6. PENSE magro. Se o objetivo é emagrecer, você deve se conscientizar que, para isso, seus hábitos alimentares precisam mudar assim como o que você pensa. Se não quer cair em tentações, evite pensamentos engordativos.

7. Estabeleça METAS. Coloque como meta algo que você nunca fez ou que tem dificuldade em fazer, assim você estará se auto-desaficando e se motivando a alcançá-la. Por exemplo, uma pessoa que pula o café da manhã, então uma meta para ela é começar a incluir esta refeição no seu dia a dia.

8. REEDUQUE seu organismo. Pequenas atitudes fazem toda a diferença. Inclua aos poucos novos alimentos a sua rotina alimentar, reduza o consumo de outros, faça substituições mais saudáveis.

9. NÃO deixe para amanhã o que você pode fazer HOJE. Muitas pessoas querem "aproveitar" os últimos dias antes de iniciar um plano alimentar de emagrecimento e comer tudo o que tem direito. Lembre-se das dicas anteriores!

10. Use a palavra-chave: MODERAÇÃO! Não é preciso cortar drasticamente aqueles alimentos que você gosta, basta consumí-los moderadamente.



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Olá visitante!

Aguarde as novas atualizações do blog NutriMais! Em breve!

:)