domingo, 7 de março de 2010

O que você come depois dos exercícios faz diferença


Muitos dos benefícios do exercício aeróbico sobre a saúde metabólica são decorrentes da mais recente sessão de exercícios ao invés das semanas, meses ou anos de treinamento e a natureza desses benefícios pode ser fortemente afetada pelo alimento que ingerimos depois. "Diferenças no que é ingerido depois da atividade física produz diferentes efeitos sobre o metabolismo do organismo", disse o autor do estudo Jeffrey F. Horowitz da University of Michigan.


Este estudo reforça vários estudos anteriores que demonstram que vários benefícios dos exercícios sobre a saúde são transientes: uma sessão de exercício produz benefícios para o organismo que acabam em horas ou poucos dias. Especificamente, o estudo constatou que o exercício realça a sensitividade da insulina, particularmente quando as refeições feitas depois de uma sessão de exercício contêm baixa quantidade de carboidrato. Uma maior sensitividade da insulina significa que é mais fácil o organismo retirar o açúcar da corrente sanguínea e levar para tecidos como os músculos, onde pode ser armazenado ou usado como combustível. Uma sensitividade da insulina deficiente (isto é, resistência à insulina) é uma característica da diabetes tipo 2, bem como um importante fator de risco para outras doenças crônicas, tal como doença do coração.


Quando os participantes ingeriram uma refeição pobre em calorias após o exercício, isso não melhorou a sensitividade da insulina mais do que uma refeição normal para repor a energia gasta com os exercícios, sugerindo que você não precisa passar fome depois dos exercícios para colher os benefícios dos mesmos. O estudo incluiu nove homens saudáveis sedentários, entre 28 e 30 anos de idade. Eles participaram de 4 sessões separadas no Michigan Clinical Research Unit in the University of Michigan Hospital. Eles compareceram a cada sessão em jejum e as 4 visitas ao hospital diferiram basicamente nas refeições que os participantes fizeram após os exercícios.


Em uma primeira visita que serviu de controle, o grupo não fez exercícios e ingeriu uma refeição com as calorias necessárias ao organismo. Nas outras três visitas, eles se exercitaram por aproximadamente 90 minutos em uma intensidade moderada (bicicleta e esteira de corrida) e fizeram uma refeição com as seguintes características:


1) a mesma quantidade das calorias gasta no exercício, com uma quantidade balanceada de carboidrato, gordura e proteína para repor o que foi gasto;


2) a mesma quantidade das calorias gasta no exercício, mas com a metade da quantidade de carboidrato da refeição balanceada (200 gramas);


3) baixa quantidade de calorias - cerca de 1/3 das calorias das outras duas refeições, mas rica em carboidratos para repor os carboidratos "queimados" durante os exercícios.


Nas 3 sessões de exercícios, houve uma tendência para aumentar a sensitividade da insulina. Entretanto, quando os participantes ingeriram menos carboidratos depois dos exercícios, isso aumentou ainda mais a sensitividade da insulina.


Embora a perda de peso seja importante para melhorar a saúde metabólica em pessoas acima do peso e obesas, esses resultados sugerem que as pessoas podem colher os benefícios das atividades físicas sem deixar de comer ou perder peso, disse Dr. Horowitz. O estudo também aumenta a evidência que cada sessão de exercício pode afetar a fisiologia do organismo e que dependendo do que você ingere depois do exercício pode produzir diferentes mudanças fisiológicas.


Fonte: CLIQUE AQUI


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário